O Diaolim entre os imigrantes italianos: as expressões do mal em uma narrativa literária / The Diaolim among Italian immigrants: the expressions of evil in a literary narrative

Luiza Liene BRESSAN (UNIBAVE), Ana Caroline Voltolini FERNANDES (UNISUL), Heloisa Juncklaus Preis MORAES (UNISUL)

Resumo


RESUMO: Este estudo objetiva analisar a imagem do mal a partir da personagem “diaolim”, expressão em italiano que designa “diabinho’ na narrativa literária Operários de Primeira Hora, de Valdemar Mazzurana. O aporte teórico se fundamenta na teoria do imaginário de Durand e também em trabalhos desenvolvidos por mitólogos e estudiosos de textos literários. A análise da personagem que expressa o mal na narrativa aponta para as questões simbólicas que envolvem o sagrado e o profano na literatura, bem como as manifestações da religiosidade entre os imigrantes italianos no sul catarinense.

PALAVRAS-CHAVE: Imaginário. Narrativa literária. O diabo.

 

ABSTRACT: This study aims to analyze the image of evil from the character "diaolim”, an expression in Italian that designates "devil" in the literary narrative Operários de Primera Hora by Valdemar Mazzurana. The theoretical contribution is based on the theory of the imaginary of Durand and also in works developed by mythologists and scholars of literary texts. The analysis of the character that expresses the evil in the narrative points to the symbolic issues that involve the sacred and the profane in literature, as well as the manifestations of religiosity among Italian immigrants in southern Santa Catarina.

KEYWORDS: Imaginary. Literary narrative. The devil.

 

RESUMEN: Este estudo objetiva analisar a imagem do mal a partir da personagem “diaolim”, expressão em italiano que designa “diabinho’ na narrativa literária Operários de Primeira Hora, de Valdemar Mazzurana. O aporte teórico se fundamenta na teoria do imaginário de Durand e também em trabalhos desenvolvidos por mitólogos e estudiosos de textos literários. A análise da personagem que expressa o mal na narrativa aponta para as questões simbólicas que envolvem o sagrado e o profano na literatura, bem como as manifestações da religiosidade entre os imigrantes italianos no sul catarinense.

PALABRAS CLAVE: Imaginário. Narrativa literária. O diabo

Texto completo:

PDF - P. 293-307

Referências


BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. Trad. de Antonio de Pádua Danesi. São Paulo,Martins e Fontes, 2012.

CASTORIADIS, Cornelius. As encruzilhadas do labirinto I. Os domínios do homem. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

DEMO, Wilson. Manual da história do direito. Florianópolis: Conceito editorial, 2010.

DURAND, Gilbert. A Imaginação Simbólica. Tradução de Liliane Fitipaldi. 6 ed. Lisboa: Edições 70, 1993.

DURAND, Gilbert. Campos do imaginário. Tradução de Maria João Batalha Reis. Lisboa: Instituto Piaget, 1996.

DURAND, Gilbert. As estruturas antropológicas do imaginário. Tradução de Hélder Godinho. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬DURAND, Gilbert. O imaginário: ensaio acerca das ciências e da filosofia da imagem. Tradução de Renée Eve Levié. 6. ed. Rio de Janeiro: Difel, 2014.

ELIADE, Mircea. Yoga: imortalidade e liberdade. Tradução de Teresa de Barros Velloso. São Paulo: Palas Athena, 1996.

GÊNESIS. Português. In: Bíblia de estudo arqueológica. Tradução de Claiton André Kunz, Eliseu Manoel dos Santos e Marcelo Smargiasse. São Paulo: Vida, 2013.

JUNG, Carl Gustav. Os arquétipos e o inconsciente coletivo. Tradução de Maria Luíza Appy e Dora Mariana R. Ferreira da Silva. Petrópolis: Vozes, 2000.

MARDONES, José María. A vida do símbolo: a dimensão simbólica da religião. São Paulo: Paulinas, 2006.

MAGALHÃES, Antônio Carlos de Melo; SILVA, Eli Brandão da. O diabo na arte e no imaginário ocidental. In MAGALHÃES, Antonio Carlos de Melo et al (Orgs.). O demoníaco na literatura. Campina Grande: EDUEPB, 2012. p. 277-290.

MAZZURANA, Valdemar M. Operários da Primeira Hora. Palhoça: Editora da Unisul, 2012.

MORAES, Heloisa J. P; BRESSAN, Luiza L. Imaginário e religiosidade na obra “Operários de Primeira Hora” de Valdemar Mazzurana e o regime noturno das imagens. Revell- Revista de Estudos Literários da UEM. v. 2, n. 13, 2016. p.42-58.

MORIN, Edgar. O Método 3: O conhecimento do conhecimento. Tradução de Juremir Machado da Silva. Porto Alegre: Sulina, 1999.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. A genealogia da moral. Tradução de Antonio Carlos Braga. São Paulo: Lafonte, 2017.

NOGUEIRA, Carlos Roberto F. O Diabo no imaginário cristão. São Paulo: Ática, 1986.

RAMOS, Angelo Zanoni. O bem e o mal. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

RICOEUR, Paul. O mal: um desafio à filosofia e à teologia. Tradução de Maria da Piedade Eça de Almeida. São Paulo: Papirus, 1988.

RICOEUR, Paul. A simbólica do mal. Tradução de H. Barros e G. Marcelo. Lisboa: Edições 70, 2017.

SODRÉ, Muniz. Best-Seller: a literatura de mercado. São Paulo: Ática, 1988.

TONIN, Juliana; AZUBEL, Larissa. Comunicação e imaginário. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2016.

WUNENBURGER, Jean-Jacques. A árvore de imagens. Revista Intexto. Porto Alegre, UFRGS, n. 41, p.58-69, jan/abr. 2018. Disponível em: . Acesso em: 06 mai. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Guavira Letras