A CAPITAL DO BRASIL NO SERTÃO DO CENTROOESTE: CAMINHOS DE MEMÓRIA

Ivany Câmara NEIVA (UCB)

Resumo


RESUMO: Pretende-se registrar marcas da formação de Brasília (construída e inaugurada em 1960, no sertão do Centro-Oeste brasileiro), no processo de formação histórica, cultural, artística e literária da Região. Buscam-se referências na literatura e na história brasileiras – especialmente nas que se referem à ideia de sertão, e nas que tratam dos processos de mudança da capital. Entre essas referências, destacam-se anotações feitas durante explorações pelo Sudeste Goiano, no âmbito da Comissão de Estudos para Localização
da Nova Capital do Brasil, em 1947 e 1948, pelo agrônomo Antônio de Arruda Câmara e por Guiomar de Arruda Câmara - respectivamente em crônicas e no Diário de Campo, e em cartas à sua filha Joanna de Arruda Câmara. Observa-se que o caráter afetivo das informações traz expressiva contribuição ao Conhecimento (Antônio e Guiomar são avós da autora); que as histórias contadas oralmente, ou em crônicas e
diários de campo, e em cartas, são documentos essenciais para a reconstrução de caminhos; e, a partir dessas memórias, que a interiorização da capital desempenha papel importante na imagem que foi sendo construída do Centro-Oeste brasileiro.

PALAVRAS-CHAVE: Centro-Oeste. Brasília. Formação. Mudanças. Comissão Polli Coelho.

ABSTRACT
We intend to register milestones in the creation of Brasilia (built and opened in 1960 in the hinterlands of Central-Western Brazil), within the historical, artistic-cultural and literary processes of the Central- Western region. We seek references in literature and from Brazilian history – especially in what concerns the idea of what “sertão” (hinterland) is – and about the processes which led to the moving and
placing of the new capital. Among those, we highlight notes made during explorations through the Goiano Southwest in the framework of the Study Commission for the Placing of the New Capital of Brazil, in 1947 and 1948, by the agronomist engineers Antônio de Arruda Câmara and Guiomar de Arruda Câmara, respectively, in chronicles and field diary, as well as letters addressed to their daughter, Joanna de Arruda Câmara. We note that the affective features of the information (Antônio and Guiomar are the author’s grandparents), bring important contributions to the knowledge of it all; the stories told orally, through chronicles, field diaries or letters are essential documents for the reconstruction of the ways in the process; and it is from these memories that the image of the placing of the new capital in the Brazilian hinterlands plays a significant role.

KEYWORDS Central-Western, Brasilia, formation, changings, the Polli Coelho Commission.


Texto completo:

PDF - P. 70-91

Referências


ABREU, Marcelo. Cultura chega a galope. Correio Braziliense, Brasília, 15.04.2010. Capa e Cidades, p.46.

ABREU, Regina & CHAGAS, Mário. (orgs). Memória e Patrimônio: ensaios contemporâneos. 2.ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009.

AMADO, Janaína. Região, sertão, nação. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, FGV/CPDOC, vol. 8, n. 15, 1995.

ARRUDA CÂMARA, Antônio. Crônicas. Rio de Janeiro, 1960. mimeo. Acervo de Ivany Câmara Neiva.

____________. Investigações Agronômicas. Regiões do Estado de Goiás. Rio de Janeiro: Comissão de Estudos para Localização da Nova Capital do Brasil, 1948.

BARTHOLO, R.; SANSOLO, D.G.; BURSZTYN, I. (orgs.). Turismo de Base Comunitária – diversidade de olhares e experiências brasileiras. Rio de Janeiro: Letra e Imagem, 2009.

BAZZO, Ezio Flavio. Entre os gritos do carcará e a desfaçatez da raça humana. Brasília: Bucentauro Publicações, 2006.

BERTRAN, Paulo. História da Terra e do Homem no Planalto Central. Eco-História do Distrito Federal: do indígena ao colonizador. Brasília: Verano, 2000.

CAVALCANTE, Maria do Espírito Santo Rosa. Fronteiras de identidade regional no Sertão do Brasil Central. Revista Presença, Goiânia, 09-10 set.1986. Disponível em

http://lasa.international.pitt.edu/Lasa2001/CavalcanteMaria.pdf. Acesso em 10.06.2014.

CHAUVET, Gustavo. Brasília e Formosa: 4500 anos de história. Goiânia: Keops, 2005.

COMISSÃO DE ESTUDOS PARA LOCALIZAÇÃO DA NOVA CAPITAL DO BRASIL. Relatório Técnico. 3v. Rio de Janeiro: Comissão de Estudos para Localização da Nova Capital do Brasil, 1948.

COSTA, Graciete Guerra e MEDEIROS, Valério A. Soares. A cartografia do Distrito Federal. Disponível em https://www.ufmg.br/rededemuseus/crch/costa_medeiros_a-cartografia-do-distrito-federal.pdf. Acesso em 14.06.2014.

COTRIM, Márcio, História da história. Correio Braziliense, Brasília, 14 jun. 2014. Cidades, p.9.

CRULS, Luiz. Relatório da Comissão Exploradora do Planalto Central: Relatório Cruls. Edição especial do Centenário da Missão Cruls – 1892-1992. Brasília: Codeplan, 1992.

LEONARDI, Victor. Entre árvores e esquecimentos – história social nos sertões do Brasil. Brasília: Paralelo 15 Editores, 1996.

MENDES, G.F. e ALMEIDA, M.G.. Memória, Símbolos e Representações na Configuração Socioespacial do Sertão da Ressaca. Mercator - Revista de Geografia da UFC. Fortaleza, ano 07, número 13, 2008 p 29-37. Disponível em

http://www.mercator.ufc.br/index.php/mercator/article/view/5/2. Acesso em 10.06.2014.

MENEZES, Ulpiano B. Os paradoxos da memória. In: MIRANDA, Danilo Santos de. Memória e cultura: a importância da memória na formação cultural humana. São Paulo: Edições SESC SP, 2007.

MIRANDA, Danilo Santos de. Memória e cultura: a importância da memória na formação cultural humana. São Paulo: Edições SESC SP, 2007.

MONTI, Estevão Ribeiro. As veredas do grande sertão-Brasília: ocupação, urbanização e resistência cultural. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável). Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

MOURÃO, Ronaldo Rogério de Freitas. Luiz Cruls - o homem que marcou o lugar. Brasília: Gráfica e Editora Qualidade, 2003.

MURTA, Stela Maris & ALBANO, Celina (orgs.). Interpretar o Patrimônio – um exercício do olhar. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil (de 24 de fevereiro de 1891). Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao91.htm. Acesso em 10.06.2014.

______. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil. 1946. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao46.htm. Acesso em 10.06.2014.

RIBEIRO. Darcy. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo: Cia das Letras, 2006.

RODRIGUES, M. de F. F. Sertão no Plural: da linguagem geográfica ao território da diferença. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, USP, São Paulo, 2001.

ROSA, Guimarães. Grande Sertão, Veredas. 13.ed.. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1979.

SUÁREZ, Mireya. Sertanejo: um personagem mítico. Sociedade e Cultura, Goiânia, UFG, 1(1): 29-39, jan./jun. 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Guavira Letras (PPG-Letras) - ISSN 1980-1858 (Qualis B2)