O ensino de literatura através da performance: Algumas possibilidades

Érica Rodrigues Fontes (UFPI)

Resumo


Este trabalho propõe uma metodologia de estudo da literatura a partir da performance de textos literários, principalmente através das ideias desenvolvidas por Richard Schechner sobre performance,  por Augusto Boal em seu Teatro do Oprimido e por Umberto Eco sobre a obra aberta. Defendendo uma dessacralização do texto literário o objetivo é criar possibilidades de reflexão, a partir da literatura, mas que também abranjam os campos histórico, sociológico e político, entre outros. Ou seja, a literatura, além de ser discutida por si só, é base para a produção de outros campos artísticos e ramificações que também tratem da vida cotidiana. Aqui a metodologia é demonstrada a partir de exercícios com “Nós matamos o Cão Tinhoso”, de Luis Honwana, “O homem de areia”, de Erich Hoffmann e “O conto da ilha desconhecida”, de José Saramago, como vistos em algumas aulas de literatura e no projeto de extensão Os Federais, de performance de literatura. Também são apresentadas sugestões para explorações futuras.


Texto completo:

PDF - p. 202-211

Referências


BARBOSA, Tereza Virgínia Ribeiro. Teatro, atos vitais e performance. In: Aletria, Belo Horizonte: n.1, v. 21, p. 121-132, jan.-abr., 2011. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/aletria/article/view/1572

Acesso em: 02 de outubro de 2015.

BENJAMIN, Walter. Versuche über Brecht. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1966.

BOAL, Augusto. Teatro do oprimido e outras poéticas políticas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

_____. Técnicas latino-americanas de teatro popular: uma revolução copernicana ao contrário. 2ª edição. São Paulo: HUCITEC, 1984.

_____. Entrevista pessoal. 16 de julho de 2003.

ECO, Umberto. The role of the reader: explorations in the semiotics of texts. Bloomington: Indiana U P, 1979.

GOMES, André Luis. Do texto base ao adaptado: transposições teatrais. In: _____. Reflexões sobre a cena. Organizado por Sheila Diab Maluf e Ricardo Brigi de Aquino. 1 ed. Maceió: EDUFAL, 2005, p. 35-54.

HOFFMANN, Erich. O homem da areia. Rio de Janeiro: Rocco, 2010.

HONWANA, Luis Bernardo. Nós matamos o Cão Tinhoso. 2 ed. Porto: Afrontamento, 1972.

MARTINS, Leda Maria. Performance e drama: pequenos gestos de reflexão. In: Aletria, Belo Horizonte: n.1, v. 21, p. 101-109, jan.-abr., 2011. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/aletria/article/view/1570/1667

Acesso em 02 de outubro de 2015.

SARAMAGO, José. “O conto da ilha desconhecida”. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

SCHECHNER, Richard. O que é performance? In: Performance Studies: an introduction. 2nd edition. New York & London: Routledge, 2006, p. 28-51.

--; Icle, Gilberto; Pereira, Marcelo de Andrade . O que pode a performance na educação? In: Educação e realidade. São Paulo: n. 2, v.35, p. 23-34, 2010.

SCHUTZMAN, Mady (Org). Playing Boal: theatre, therapy, activism. London: Routledge, 1994.

UBERSFELD, Anne. Para ler o teatro. Traduzido por José Simões. 1 ed. São Paulo: Perspectiva, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Guavira Letras (PPG-Letras) - ISSN 1980-1858 (Qualis A2)