Marcadores discursivos em entrevistas com falantes nativos e não nativos da língua inglesa

Michele Ester de Moura Campos Furlan (UFMS), Vanessa Hagemeyer Burgo (UFMS)

Resumo


Este trabalho visa a discutir o uso dos marcadores discursivos no texto falado, assinalando, de forma contrastiva, suas funções e os efeitos de sentido produzidos em entrevistas com um falante nativo e um não nativo da língua inglesa. O corpus é constituído por duas entrevistas com professores de inglês: uma concedida por uma brasileira, e a outra por um inglês que, atualmente, reside no Brasil. A pesquisa segue o método empírico-indutivo e o arcabouço teórico ancora-se nos conceitos da Análise da Conversação. Os resultados mostraram que tanto o falante nativo da língua inglesa, quanto a não nativa criaram estratégias semelhantes no que diz respeito ao planejamento verbal, à organização dos tópicos e à função exercida pelos marcadores discursivos. A rigor, este elementos desempenham  um papel relevante nos estabelecimento de elos coesivos e entre as partes do texto, assim como na manutenção e na organização do fluxo conversacional.

Texto completo:

PDF - p. 80-94

Referências


BROWN, P.; LEVINSON, S. C. Politeness: some universals in language usage. 1 ed. Cambridge: Cambridge University Press, 1978.

BROWN, H. D. Teaching by principles: An interactive approach to language pedagogy. New York: Longman, 2001.

CASTILHO, A. T. de. A língua falada no ensino de Português. 6 ed. São Paulo: Editora Contexto, 1998.

FRASER, B. An Approach to Discourse Markers. Journal of Pragmatics. Trad. Pedro Caruso e Paulo F. Zanotto. Boston: Boston University - School of Education, p. 132-160.1990.

______. What are discourse markers? Journal of Pragmatics. Boston: Boston University - School

of Education, p. 931–952. 1998.

______. Pragmatic formatives. In: VERSCHUEREN, J., BERTUCCELLI-PAPI, M. (Eds). The Pragmatic Perspective. Amsterdam: Benjamins, 1987. p. 179-194.

GALEMBECK, P. de T. Preservação da face e manifestação de opiniões: um caso de jogo duplo. In: PRETI, Dino. (Org.) O discurso oral culto. 2ª ed. São Paulo: Humanitas Publicações – FFLCH/USP. (Projetos Paralelos, vol. 2). 1999A. p. 173-194.

¬¬

______ Metodologia de Pesquisa em Português Falado. In: RODRIGUES, A. C. de S.; ALVES, I. M.;GOLDSTEIN, N. S. I Seminário em Filologia de Língua Portuguesa. São Paulo: Humanitas Publicações FFLCH-USP. 1999B. p. 109-119.

GOFFMAN, E. Les rites d’interaction. Paris: Les Éditions de Minuit, 1974.

HALLIDAY, M. A. K. Explorations in the functions of language. London: Edward Arnold, 1973.

LAKOFF, R. Questionable answers and answerable questions. In: KACHRU, B. B.; LEES R. B.; MAKIEL, Y.; PIETRANGELI, A.; SAPORTA, S. (org.). Issues in Linguistics. Papers in Honorof Henry and Renée Kahane, Urbana: University of Illinois Press, 1973.p. 453-467.

MARCUSCHI, L. A. Análise da Conversação. São Paulo: Ática, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Guavira Letras (PPG-Letras) - ISSN 1980-1858 (Qualis A2)