A construção de leitores e produtores de textos autônomos no ensino de FLE

Maxuel de Souza Rodrigues (UFRJ), Tânia Reis Cunha (UFRJ)

Resumo


Neste artigo, será discutida a importância de se compreender a forma como o desenvolvimento de estratégias nas práticas de leitura interfere na formação de seres autônomos frente às atividades de compreensão e produção de textos em francês língua estrangeira, conscientes dos processos de aprendizagem e autoaprendizagem. Após análise de dados provenientes de questionários e entrevistas realizados com alunos de uma universidade pública, verificou-se que a leitura proficiente promoveu autonomia nos alunos, compreendendo que escrita envolve a cooperação pela integração de outras vozes e se conscientizando sobre alguns processos envolvidos na produção de textos.


Texto completo:

PDF - p. 67-79

Referências


BENSON, Phil. & LOR, W. Making Sense of Autonomous Language Learning: Conceptions of Learning and Readiness for Autonomy. English Centre Monograph, # 2. Hong Kong: University of Hong Kpaong, 1998.

CORACINI, M.J. (Org.). O jogo discursivo na aula de leitura: língua materna e língua estrangeira. Campinas: Pontes, 2002.

HOLEC, H. Qu’est-ce qu’apprendre à apprendre. Mélanges Pédagogiques, C.R.A.P.E.L, 1990. Disponível em: http://revues.univ-nancy2.fr/melangesCrapel/IMG/pdf/6holec-3.pdf. Acesso em: 20 jun. 2011.

KLEIMAN, A. Oficina de leitura – Teoria e prática. Campinas, SP: Pontes, 12ª Ed., 2008.

KOCH, I.V. O texto e a construção dos sentidos. 9ª Ed., 3ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2010.

______, ELIAS, V.M. Ler e escrever: estratégias de produção textual. São Paulo: Contexto, 2010.

NICOLAIDES, C. A busca da aprendizagem autônoma de línguas no contexto acadêmico. Tese (Doutorado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua estrangeira Língua Estrangeira/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília, 1998.

RODRIGUES, M.S. Estudo da relevância do trabalho coordenado leitura/escrita no ensino de francês língua estrangeira. Rio de Janeiro, Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2012. Dissertação de Mestrado em Letras Neolatinas – Disponível para consulta em: www.letras.ufrj.br/pgneolatinas/media/bancoteses/maxuelrodriguesmestrado.pdf.

SANTOS, V.M.X. Autonomia em sala de aula: uma meta a ser alcançada ou uma utopia a ser perseguida?. In: O desenvolvimento da Autonomia no ambiente de aprendizagem de Línguas Estrangeiras / 2. Fórum Internacional de Línguas Estrangeiras; org. por Christine Nicolaides et.al.. Pelotas: UFPEL : UCEPEL, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Guavira Letras (PPG-Letras) - ISSN 1980-1858 (Qualis A2)